Dica de Leitura: Era uma vez em dezembro


Em Pedro Stiehl encontramos duas importantes singularidades: A primeira é a abrangência de sua palavra, de seu verbo, seja na literatura infanto-juvenil, no livro Vida fora da gangue; na poesia, em Breviário profano e O livro das fraquezas humanas; no romance, em Bárbaros no paraíso; e contos, em Rapsódia em Berlim – e a singularidade maior: o talento marcante em cada um destes gêneros. Algo tão raro quanto uma voz ser perfeita em todos os ritmos.

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: Mula sem cabeça e outras histórias


'Mula sem cabeça', 'A flauta do Nicolau' e 'Fada Crica Cozinheira' são três historietas divertidas que 'blá-blá-bleiam' de verdade, como as crianças fazem no dia a dia. As narrativas em versos resgatam a oralidade da infância e brincam com as palavras. Entre uma história e outra, a autora dialoga com o leitor, propondo adivinhas, sempre em forma bem-humorada, estimulando sua imaginação.

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: A Companhia Negra


Clássico da literatura fantástica americana, 'A Companhia Negra' foi publicado originalmente na década de 1980. 'A Companhia Negra' é um grupo de mercenários com uma história que remonta a séculos. Numa tentativa de reviver o passado de glórias, ela se une ao exército da Dama, uma feiticeira de poder inigualável que acordou de um sono de eras para reconquistar tudo que perdeu. A Companhia se vê envolvida, então, em muito mais do que campanhas militares: ela precisa sobreviver aos conflitos extremamente traiçoeiros entre os servos da Dama. Num mundo onde a magia está presente em cada esquina, toda rua esconde segredos maravilhosos e perigos mortais.

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: Um caminho no meio das pedras


Nenhuma droga havia, até hoje, causado devastação tão terrível em todas as classes sociais como o crack. Aí está ele nas tristes cracolândias do centro, da periferia e do subúrbio das cidades grandes, mas também nas cidades pequenas, que a cada dia se tornam mais vulneráveis à sua ameaça.

Fonte: Saraiva

Feira do Livro 2016: Companhia Cena Aberta apresenta o espetáculo "As bodas da filha do bandoleiro"


Fonte: Facebook da Feira do Livro de Montenegro

Feira do Livro 2016: Lançamento do Livro "Versos Colhidos" de Antônio Lopes e Ites Mariano (In Memoriam)



Dias 4, 5 e 6/05, as 18h, serão momentos de sessões de autógrafos e lançamentos de diversos livros, de autores locais e estaduais.

Um deles é o livro de poesias " Versos Colhidos" de Antônio Lopes e Ites Mariano (In Memoriam), que será lançado em 06/05.

Fonte: Facebook Feira do Livro de Montenegro

Feira do Livro 2016: Espetáculo TãnTango de Hique Gomez - Eleanor Rigby

Que tal um espetáculo musical que misture tango, Beatles e humor?

Pois essa é uma das propostas de Hique Gomez no espetáculo "Tãn Tãngo Pocket", dia 07/05 as 19:30h. 

O espetáculo tem apoio da UNISC.

Confira no vídeo uma prévia do que você vai assistir ao vivo no palco da feira:



Dica de Leitura: Verme


Policiais, bicheiros, militares, políticos, prostitutas e até o reitor da universidade.Todos eles fazem parte do jogo de poder e corrupção que o delegado Fernão Weber enfrentou durante anos, dividido entre a justiça e o dinheiro fácil. Ele então resolve vomitar os podres e as angústias que o acompanharam nessa trajetória crua, passando pelo desmanche de carros e chegando a uma trama que envolve chantagem e assassinato entre banqueiros do jogo do bicho e seus comparsas.

Fonte: Saraiva

Curiosidades: Biblioteca digital reúne acervo acessível a deficientes visuais

A ferramenta traz mais de 4 mil títulos com possibilidade de download, leitura falada ou impressão em braille



A educação e o acesso à cultura e informação de pessoas com deficiência visual ganha mais um aliado.

A Fundação Dorina Nowill para Cegos, que atua na inclusão de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão por meio de serviços gratuitos e especializados, acaba de lançar a plataforma Dorinateca – Biblioteca Digital Dorina Nowill.

Totalmente digital, a biblioteca reúne vasto acervo de 4 mil livros em versões áudio, acessível por meio do Daisy (primeiro aplicativo brasileiro para a leitura de livros digitais com acessibilidade), além de títulos para impressão em braille. Para acessar e usufruir dos arquivos da plataforma é necessário realizar um cadastro.

É possível filtrar por título, autor ou formato (livro falado, Daisy, braille), relevância e data de lançamento. A partir do histórico de navegação do usuário pela plataforma, ele pode montar sua própria estante de leitura.

Além do acervo já existente da Fundação Dorina, serão editados mais 100 novos títulos da literatura nacional, estrangeira, infanto juvenil, conteúdos para concursos públicos e outros temas. Além disso, todos os futuros títulos que forem transcritos a partir de agora para o braille serão adicionados à Dorinateca.

O projeto foi viabilizado pelo Ministério da Cultura e contou com o patrocínio dos Parceiros de Visão Cielo, Sanofi e Carrefour.

Dica de Leitura: A Maravilhosa semente de pera & outras fábulas populares de todo o mundo


De repente, a avó começa: 'Era uma vez...'
No silêncio que se segue, a família talvez ouça, atenta, uma história de fantasmas, pois, não importa o que façamos com os mortos, eles não nos deixam e permanecem para sempre em nossos corações. Ou quem sabe é uma história das maravilhas de Deus. Pode também ser uma parábola para mostrar as grandes verdades da vida. Uma história de amor é sempre bem-vinda. Mas pode ser um relato mágico, ou um mito, ou uma lenda fantástica com um herói.
A noite agora não está mais tão fria. A história, seja ela qual for, nunca é longa. Que são dez, quinze minutos dentro de seis ou sete horas? É pouco, mas o suficiente. No dia seguinte a família poderá dizer: 'Que história a de ontem, hein?'.
Convidamos você para ler e curtir estas fábulas. Algumas delas têm sido passadas de pai para filho há séculos. Outras foram espalhadas mundo afora por navegadores, aventureiros, mercadores ou simples viajantes.
Elas vêm da Dinamarca, da China, da Escócia, dos Estados Unidos, do Brasil, enfim, de várias partes do planeta.

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: A Bela e a Fera - Em Quadrinhos



Uma história que encantou gerações agora adaptada para os quadrinhos. “A Bela e a Fera em Quadrinhos” é a história de uma linda donzela aprisionada por uma temida Fera. Ela descobrirá que por trás de uma horrível aparência pode existir alguém muito especial.

Fonte: Saraiva


Dica de Leitura: Um Dia de Sol


Kai-lan adora brincar ao ar livre. Que tal se juntar a ela e toda a turma? Tai bang le! Que legal!

Curiosidades: App permite consulta a acervo histórico da FGV

Criado em 1973, o CPDOC reúne o mais importante conjunto de arquivos pessoais de homens públicos do País, totalizando 1,8 milhão de documentos.


Foto do arquivo público de Ernesto Geisel, presidente do Brasil entre 1974 e 1979, durante a ditadura militar


O vasto acervo do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) agora pode ser consultado de forma livre e gratuita por meio do aplicativo App FGV.

Criado em 1973, o CPDOC reúne o mais importante conjunto de arquivos pessoais de homens públicos do País, totalizando cerca de 1,8 milhão de documentos.

Entre os documentos disponíveis via app se encontram entrevistas do Programa de História Oral, verbetes do Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, mais de 80 mil fotografias digitalizadas, publicações como The Brazilian Economy, revista mensal do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE/FGV), entre outros.

Destacam-se também os acervos pessoais de Getulio Vargas, Ernesto Geisel, Eurico Gaspar Dutra, João Goulart e Anísio Teixeira. O próximo a integrar o acervo digital é o arquivo pessoal de Gustavo Capanema, um dos campeões de consulta.

Para acessá-lo e realizar buscas não há necessidade de criar um cadastro. Com a finalidade de facilitar a navegação pelo conteúdo, há um sistema de busca por palavra-chave, ordenação e filtros.

O aplicativo está disponível para download gratuito tanto para dispositivos Android quanto iOS

Fonte: Carta Educacão




Dica de Leitura: O Jogo da Amarelinha


'O Jogo da Amarelinha' teve imediatamente uma recepção extraordinária nas mais variadas línguas e latitudes. Vivia-se um tempo de rupturas. Na política, nas artes, nos costumes, por toda parte o novo forçava passagem para se substituir ao velho. E por toda parte este livro capturou, com sua ousadia formal, com seus personagens inesquecíveis, com sua visão de mundo complexa e sensível, a atenção de multidões de leitores.

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: Entre a Cruz e a Suástica




Um tiro certeiro cala umas das vozes mais polêmicas e temidas da República. Na suíte de uma casa de veraneio, na bucólica praia de Guaxuma, em Maceió, a polícia encontra o corpo de Paulo César Farias, o PC. As autoridades afirmam que ele foi assassinado pela namorada, Suzana Marcolino, vítima da mesma arma. Homicídio seguido de suicídio? Crime passional ou dois alvos de uma única conspiração? Na mesma cálida madrugada, a explosão de uma bomba transforma em ruínas a sinagoga da Faculdade de Teologia da Universidade Federal de Maceió. Mera coincidência ou tudo meticulosamente calculado? 

A mistura de realidade e ficção faz de Entre a cruz e a suástica um thriller eletrizante, recheado de mistério, intriga, corrupção e paixões sem limites. O personagem central é o consagrado jornalista Anderlon Gonçalves Valderez, o AGV. Ele, que buscava apenas um lugar tranquilo para escrever um livro sobre sua suposta entrevista com Deus, acaba sendo atraído por um enigma de vida ou morte, cuja chave o leitor é desafiado a descobrir antes do epílogo.

Fonte: Saraiva

Curiosidades: Use e abuse das bibliotecas digitais


Conheça os principais acervos digitais:

- Senado Federal
- Câmara dos Deputados
- Biblioteca Nacional
- Portal DomínioPúblico
- Sebrae
- Universidade de São Paulo

Fonte: Facebook do Senado Federal

Feira do Livro 2016: Dia 06/05, sexta-feira, às 18h, Adriana Tavares Pimentel, estará autografando seu livro infanto-juvenil “A PATA FORMOSA”


14ª Feira do Livro de Montenegro e 9ª feira do Livro do Vale do Cai, 03 a 07 de Maio

Convido aos amigos e amigas para visitarem a Feira do Livro de 2016.

Dia 6/5, sexta-feira, às 18h, eu, Adriana Tavares Pimentel, estarei lá! Autografando meu livro infanto-juvenil “A PATA FORMOSA”. 
Ilustrações de Suzete Furtado Garcez.

Este livro conta:

É a história de uma patinha que quer ser mãe.
Conselho de Galinhas reúne-se para ajudá-la ao escutarem a patinha confidenciar a vaquinha, Dona Jurubeba, suas aflições.
"O texto quer mostrar o respeito às diferenças, a solidariedade, a importância dos valores humanitários acima do valor físico, a adoção, mudança do tempo corpóreo e amizade num texto leve e divertido".
Nesta primeira edição impressa à proposta é levar a criança a expressar sua imaginação enviando a continuação da estória. 
Aos pais e educadores a proposta é a reflexão sobre a diversidade e diferenças.

Fonte: Facebook

Pré-Feira do Livro: Oficina Literária com Oscar Bessi (segundo encontro)

Oficina Literária promovida pelo SESC dentro da programação da 14ª Feira do Livro de Montenegro, aconteceu o segundo encontro em 09/04 e foi excelente!!









Fonte/Fotos: Facebook

=========

No último sábado (09) foi desenvolvido, na Estação da Cultura, o segundo módulo da oficina literária “Caminhos da construção literária”, ministrada pelo escritor e patrono da Feira do Livro 2016, Oscar Bessi.
A ação é promovida pela Prefeitura de Montenegro em parceria com o Sesc, e integra a programação da 14ª Feira do Livro do município e 9ª Feira do Livro do Vale do Caí, que acontece entre os dias 03 e 07 de maio, na Praça Rui Barbosa.





Fonte/Fotos: ACOM

Dica de Leitura: Sonhos de um menino


SONHOS DE UM MENINO – Sonhos de um Menino, fala das dificuldades de uma família de trabalhadores rurais em uma época, onde o acesso à tecnologia era quase inexistente. Mas essa necessidade, instigava a criatividade, a imaginação e o conhecimento através da prática e das tradições. As crianças construíam seus próprios brinquedos e os adultos descobriam medicamentos e outras formas de cura das principais doenças, criando assim, uma cultura própria e riquíssima. Pequeno era um menino sonhador que um dia, decidiu correr atrás dos seus sonhos deixando a pacata comunidade onde vivia para morar na cidade. Enquanto jovem tudo era maravilhoso e novo, porém, com o passar do tempo, surgem também às frustrações ao tomar consciência das questões que desafiam a sociedade, e assim, seus sonhos de menino vão aos poucos dando lugar a uma visão mais racional e crítica dos fatos, até um dia se dar conta que restava um único e derradeiro sonho, mas este, deixo para que o texto revele.

Fonte: Jornal Ibiá

Dica de Leitura: Rio Grande do Sul prazer em conhecê-lo


Quem não conseguir desenredar os nós internacionais do princípio, não mais entenderá como se formou o Rio Grande do Sul. Aqui o historiador e escritor Barbosa Lessa estende a mão para que você possa ir descobrindo os caminhos. No Corredor Central, nas Missões, no Litoral, no Continente, na Campanha. Os primeiros tropeiros cortando o Planalto e os Campos de Cima da Serra. Os alemães chegando à Região colonial dos Vales. Passo a passo, o cenário vai se iluminando. Até que em 1830 já está tudo pronto para que entrem em cena o gaúcho e a Revolução Farroupilha.

Fonte: Saraiva

Curiosidades: O e-book é um livro

Tiago Ferro, da e-galáxia, levanta o debate sobre o livro digital e conclui: 'literatura é literatura, tenha cheiro ou não' 



O título deste curto artigo pode parecer tolo, e talvez até seja. Mas em alguns momentos descer até o nível mais simples do assunto me parece uma boa estratégia para desmistificar certos debates.

Não são poucos os apocalípticos que ainda falam sobre os riscos do livro digital: ele seria uma ameaça à cultura ocidental, à saúde dos olhos, ao pensamento como um todo, ao poder de concentração e, de quebra, ainda acabaria com esse objeto tão querido de todos nós que é o livro de papel. A ironia do debate é que muito provavelmente artigos assustadores que lançam esse tipo de maldição, carregados de pseudociência, você leu em uma tela de computador ou tablet ou ainda no seu smartphone!

Deixemos de lado por enquanto o tema livro digital para buscarmos algumas comparações interessantes.

O digital modificou em vários aspectos boa parte da indústria cultural. Eliminou alguns intermediários, criou espaço para novos agentes, abriu as portas para empreendedores e tornou o acesso ao patrimônio cultural muito mais fácil.

Música é música. Seja em um disco de vinil, CD, mp3 ou em alguma assinatura porstreaming. Em poucos cliques você escuta o último álbum do David Bowie ou a 9ª de Beethoven. Aliás, nunca se falou em e-music…

No caso do jornalismo, algo semelhante ocorreu: notícia é notícia, informação é informação, seja ela em papel ou em uma tela de qualquer tipo. Também aqui, apesar dos modelos de negócio ainda estarem sendo testados, quem poderia negar que a informação tornou-se mais dinâmica e plural?

Ampliando um pouco a ideia de cultura, muitas amizades nasceram através do Facebook (bem como inimizades) e namoros e casamentos tiveram sua primeira faísca via Tinder. Nem por isso os amigos deixaram de se encontrar ou as baladas desapareceram do gosto dos mais jovens.

Em todos esses exemplos podemos notar que os apocalípticos erraram ao profetizar sobre o fim da música, do jornalismo, da amizade e até do amor. E por que apenas no caso dos livros digitais eles estariam certos?

Apostar em uma novidade não é abandonar o espírito crítico. Não é deixar conquistas para trás. O falecido Umberto Eco muito nos ensinou através de sua própria ação no campo cultural sobre o difícil, mas necessário, equilíbrio entre as posturas apocalípticas e integradas. Se ele tivesse se fechado em uma delas, ou não teríamos o brilhante semiólogo ou o romancista que não teve medo de enfrentar a cultura de massas e vender milhões de livros (sem com isso abrir mão da qualidade literária). O próprio Eco se declarou contrário ao e-book quando este surgiu. Alguns anos depois comentou que estava adorando ler em um iPad e que podia carregar todos os livros necessários para uma palestra em um único objeto. Fiquemos com a lição do mestre: não é preciso bater o pé numa posição até criar raízes. É possível aproveitar o melhor dos dois mundos.

Quem seria contra um livro que pode ser comprado em qualquer parte do mundo em questão de segundos? Quem não gosta de um livro com preço de capa mais barato?

***

Minha experiência com a e-galáxia, em que só lançamos livros digitais, tem sido gratificante. Os autores já sabem muito bem a importância do e-book. E faz tempo. Em pouco menos de três anos publicamos obras importantes, tanto de autores consagrados como de iniciantes desconhecidos, e conseguimos acumular cases de sucesso.

Termino deixando o convite para que você experimente o livro digital e lembre-se de que boa parte do seu cotidiano e acesso a bens culturais já se dá graças e por meio das tecnologias digitais. E você não precisa dizer que leu isso em um e-texto.

Quem apostou contra o novo, normalmente perdeu. A luz elétrica, o automóvel, a fotografia e o cinema, o rádio e a escada rolante não nos deixam mentir.

O importante é ler. Literatura é literatura, tenha cheiro ou não.

Dica de Leitura: Todo-poderoso Timão em Quadrinhos



Cinco rapazes que adoram futebol decidem montar um time de várzea. Cem anos depois, eles ainda são lembrados por terem fundado um dos maiores clubes do país: o Sport Club Corinthians Paulista. 

Muita coisa aconteceu nesse século e o lançamento da Editora Globo 'Todo-Poderoso Timão em Quadrinhos' se encarrega de contar os fatos marcantes da história do time na linguagem divertida das histórias em quadrinhos trazendo os principais acontecimentos, símbolos, conquistas e até mesmo derrotas do Timão. 

As ilustrações são do cartunista Ziraldo, que criou uma família de personagens inéditos, especialmente para este livro. Tudo para narrar a história do time e comemorar o seu centenário. 

O lançamento do livro faz parte de uma série de ações que irão acontecer para celebrar os cem anos do Corinthians que serão completados em 2010.

A primeira história do livro conta a origem do clube, com os tais cinco rapazes apaixonados por futebol passando por muitos desafios para conseguir manter o time. 

As outras aventuras são protagonizadas por Mosquetinho, um garoto apaixonado pelo Corinthians. 

Os pais e o avô de Mosquetinho dividem com ele a mesma paixão pelo time. Tanto que o menino e o pai fazem questão de ir ao estádio devidamente vestidos: usam fantasias de mosqueteiro, em alusão ao mascote do clube. As roupas são confeccionadas pela mãe de Mosquetinho, outra corintiana. O avô então, nem se fala, é torcedor desde a barriga da mãe - que também era corintiana roxa.

Junto com a família ou com os amigos, Mosquetinho conhece o Parque São Jorge, assiste à primeira final no estádio, viaja com a torcida para ver um jogo fora de casa, participa de uma peneira para entrar na escolinha de futebol e muito mais. Em suas aventuras ele aprende também que nem sempre é possível ganhar, mas que o importante mesmo é manter a torcida fiel ao clube. 

A torcida corintiana é uma das maiores do Brasil e não para de crescer. Assim como Mosquetinho, milhares de meninos e meninas estão descobrindo o fascínio que é torcer por um time de futebol com uma história tão rica. Um por todos e todos pelo Timão!

Fonte: Saraiva

Dica de Leitura: Percy Jackson e os Olimpianos III (A Maldição do Titã)


Aguardado com ansiedade pela grande rede de fãs da série Percy Jackson e os Olimpianos, 'A Maldição do Titã' dá continuidade à elogiada combinação de mitologia, aventura e muita ação que se tornou sucesso entre o público jovem brasileiro. Com uma base de fãs-clubes que alimenta espontaneamente diversos blogs, sites e comunidades na internet, divulgando, discutindo e acompanhando os lançamentos, Percy Jackson e os Olimpianos ganha ainda mais projeção com a expectativa da chegada ao Brasil da adaptação cinematográfica de O Ladrão de Raios, primeiro livro da saga. Nesse terceiro livro da série, um chamado do amigo Grover deixa Percy a postos para mais uma missão: dois novos meios-sangues foram encontrados, e sua ascendência ainda é desconhecida. Como sempre, Percy sabe que precisará contar com o poder de seus aliados heróis, com sua leal espada Contracorrente... e com uma caroninha da mãe. O que eles ainda não sabem é que os jovens descobertos não são os únicos em perigo: Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros, e os meios-sangues estarão frente a frente com o maior desafio de suas vidas: A Maldição do Titã.

Fonte: Saraiva

Curiosidades: Confira materiais de estudo online e gratuitos sobre História




1 - Euratlas

O site oferece diversos mapas históricos e políticos referentes a diferentes épocas e lugares, como Europa e Oriente Médio, por exemplo. Os conteúdos podem ser acessados livremente.

2 - That Was History

O canal do Youtube aborda diversos fatos históricos marcantes, além de tocar em temas mais polêmicos. Alguns vídeos também tratam sobre fatos curiosos referentes à história mundial, abordando desde acontecimentos mais antigos até os mais atuais.

3 - Art Cyclopedia

O site reúne vários materiais sobre a história da arte mundial, como artigos, notícias, links, compilados de museus de arte pelo mundo e galerias.

4 - Digital History

Através de recursos tecnológicos e de multimídia, o site conta a história dos Estados Unidos de uma maneira bastante interativa e organizada.

Fonte: Universia

Curiosidades: 30 livros em um ano, que tal começar com 20 páginas por dia?

O que você faz na primeira hora do dia? A leitura matutina pode ser um incentivo para chegar a ler 30 livros em um ano!



Pesquisadores da Universidade de Roma III divulgaram no início deste ano um estudo que indica que quem lê tende a ser mais feliz que não leitores. Em uma escala que vai de 1 a 10, os adeptos da leitura diária ficaram com 7,44 pontos, enquanto os que não têm esse hábito ganharam 7,21 pontos, conforme o artigo The Happines of Reading, que contém os dados da pesquisa.

O estudo demonstra ainda que a percepção das emoções é maior entre os leitores, com predominância de contentamento, enquanto que quem não lê costuma ter mais sensações de tristeza e fúria.

Entretanto, há quem vá mais longe para descrever mais benefícios da leitura. O financista Warren Buffet, durante palestra para alunos da Universidade Columbia, dos Estados Unidos, disse aos estudantes que boa parte do sucesso se dá em razão da leitura e ofereceu certa dose de exagero: “leia 500  páginas por dia”, postulou o megainvestidor. Segundo Buffet, quem quer fazer sucesso deve se perguntar: “Estou lendo livros o suficiente?”.

Que tipo de leitor você é? James Clear, escritor, espécie de guru norte-americano e coach de artistas, empresários e atletas, ensina que é preciso identificar em que categoria de apreciador de livros a pessoa está: leitor “reativo” ou “proativo”. Falando sobre o próprios hábitos de leitura, Clear afirma que, com as redes sociais, a tendência é ser mais um leitor reativo, apenas lendo aquilo que é “empurrado” pela tela do computador. Não à toa, agora demonstram-se “reações” ao ler um post no Facebook, por exemplo.

Nunca lemos tanto, mas o dilema que se apresenta é que a qualidade ainda está nos bons livros: textos bem escritos, informações melhor apuradas e checadas e pesquisas aprofundadas.

Mas como ser um leitor mais “proativo”? Comece com 20 páginas por dia, sugere Clear. É pouco, mas o suficiente para definir um ritmo que leva aproximadamente 30 minutos para ser cumprido. E que tal fazê-lo logo pela manhã? As urgências do dia a dia podem desviar a atenção e contribuir para a procrastinação. A leitura matutina de um bom livro pode incentivar novos períodos ao longo do dia, quando há tempo e até tornar mais proveitoso o “livro de cabeceira”, aquela lida de algumas páginas antes de dormir. A proposta de Clear é a seguinte: chegar a 30 livros no ano.

Pré-Feira do Livro: Caminhos da Construção Literária

Hoje (02/04) ocorreu o primeiro encontro da Oficina Literária: Caminhos da Construção Literária com o escritor e patrono da Feira do Livro 2016 Oscar Bessi II. Obrigada querido amigo Oscar, Obrigada aos participantes. A oficina já é um sucesso.......









Fonte: Facebook

======================

Teve início neste sábado (02) a Oficina Literária: Caminhos da construção literária com o escritor e patrono da Feira do Livro 2016, Oscar Bessi, na Estação da Cultura.

No primeiro encontro foi discutido a necessidade da técnica, escolha do tema, story line, mapa de cenários, mosaico de relações, gênero e liberdade criativa.

A próxima reunião será no sábado, dia 09 de abril, onde serão tratados assuntos sobre a narrativa.

Promoção: Prefeitura de Montenegro e SESC








Fonte/Fotos: ACOM - Facebook


Dica de Leitura: O Símbolo Perdido




"O símbolo perdido é denso, exótico, cheio de códigos e pistas, imagens impressionantes e a dinâmica incessante que torna impossível deixá-lo de lado. Esplêndido. Outra história arrebatadora de Robert Langdon." - The New York Times

Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. 

Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. 

Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo.

Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.

Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. 

O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está.

Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.

Fonte: Saraiva

Total de visualizações de página