Contar histórias um ato de amor

Contar histórias é um ato de amor e desde muito cedo as crianças  demonstram seu interesse pelas histórias, batendo palmas, sorrindo, sentindo as mais variadas emoções ou imitando algum personagem. Neste sentido, é fundamental para a formação da criança que ela ouça muitas histórias desde a mais tenra idade, como diz Fanny Abramovich:
        

       “ Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas,    muitas histórias...Escutá-las é o início da aprendizagem  para ser um leitor, e ser um leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descobertas e compreensão de mundo....” (1994. p.16)

 O primeiro contato da criança com um texto é realizado oralmente, quando o pai, a mãe, os avós ou outra pessoa conta-lhe os mais diversos tipos de histórias. A criança passa a interagir com as histórias, acrescentam detalhes, personagens ou lembra-se de fatos que passaram despercebidos pelo contador. Essas histórias reais são fundamentais para que a criança estabeleça a sua identidade, compreenda melhor as relações familiares. Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador e a criança, contar e ouvir uma história aconchegada a quem se ama é compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo das histórias e dos livros.
Quando as crianças maiores ouvem as histórias, aprimoram a sua capacidade de imaginação, já que ouvi-las pode estimular o pensar, o desenhar, o escrever, o criar, o recriar; e neste contexto repensar seus valores, a partir das histórias ouvidas, apropriando-se de valores dos personagens para assim refletir sobre suas ações.                        
 No mundo de hoje, tão cheio de tecnologias, onde as informações estão tão prontas, a criança que não tiver a oportunidade de suscitar seu imaginário, e refletir sobre seus atos, seus valores, poderá no futuro, ser um indivíduo sem criticidade, pouco criativo, sem sensibilidade para compreender a sua própria realidade.
Portanto, garantir a riqueza, a vivência narrativa desde os primeiros anos de vida da criança contribui para o desenvolvimento do seu pensamento lógico e também de sua imaginação, que segundo Vigotsky caminham juntos:
             “a imaginação é um momento totalmente necessário, inseparável do pensamento realista.”. Neste sentido, o autor enfoca que na imaginação a direção da consciência tende a se afastar da realidade. Esse distanciamento da realidade através de uma história, por exemplo, é essencial para uma penetração mais profunda na própria realidade.” (1992, p.128)



  Ao contar uma história, usa-se a linguagem, empresta-se a voz aos personagens do texto, é língua falada, com movimentos que certamente causarão impacto ao receptor que a ouve, abre-se portas do imaginário, e cada palavra falada ecoará fortemente e de diferentes formas na íntimo de cada ouvinte da platéia. Pois quando a história ultrapassa a obrigatoriedade do ensinamento e passa a ser prazer, ludicidade e encantamento, a mensagem ouvida se tronará mensagem decodificada e certamente aplicada. Celso Sisto expressa isto fortemente quando diz:
                    “Mas duvido que uma história bem contada não produza ecos no ouvinte! Ecos se prolongam para além do momento narrado. Estas marcas, visíveis e invisíveis, nem sempre se pode perceber no calor da hora. Quem ouve uma história que sempre ser atingido, de alguma forma, quer ser atingido.” (2007 pp.39-41)

Quando o adulto se dispõe de corpo e alma a contar uma história à uma criança, está despido de seus conceitos e preconceitos, mas de forma alguma poderá estar despido de seu imaginário. É mesmo impressionante como a audição de histórias por crianças, depende do seu contador. Esta relação tem que ser forte de sentimento, de cumplicidade é preciso ter comunhão entre contador e ouvinte para poder ir além do texto, oferecer com as palavras, uma brecha no texto, para a fruição das múltiplas opções da imaginação, do fantástico, é preciso causar a catarse. Então, como diz Celso Sisto:
                  “ A arte de contar histórias opera antes com a noção de sugestão, de esboço. Nenhum contar é definitivo e pronto e acabado. Toda história contada oralmente é antes de tudo, uma obra em processo, que precisa do outro para ser completada.” (2007 pp.39-41)

Processo este que não deve ser pontual, ele deve ser abrangente, quanto mais “outros” para ser completada, maior serão as possibilidades individuais de cada um e do grupo com um todo, pois a socialização das emoções e experimentações trará com certeza plenitude das próximas atividades em aula.
A contação de história é uma ARTE milenar, através do qual as crianças entram em contato com o conhecimento, a história escrita e oral do seu povo. Sabe-se que esta prática além de divertir, dissemina a cultura, induz a troca de experiências, evidencia a sensibilidade, permite que a criança faça reflexões sobre o mundo em que vive, ajuda na resolução de problemas internos, como o medo, a insegurança, a ansiedade, as diferenças, entre outros, pois as histórias têm o poder de romper paradigmas, que em grego “paradeigma”,  significa modelo, padrão e invadir o inconsciente, possibilitando enriquecimento do mundo interior da criança, harmonizando suas aspirações particulares. Pode-se dizer que uma a narração de histórias não trata apenas de uma comunicação oral, mas sim de um contato, de uma comunicação emocional, se tornando importante para a formação ou reorganização de valores, pois, Segundo Celso Sisto:

“Essa vivência por empréstimo, a experimentação de modelos de ações e soluções apresentadas nas histórias fazem aumentar consideravelmente o repertório de conhecimento da criança sobre si e sobre o mundo. E tudo isso ajuda a formar a personalidade.” (2001)

Ao longo destes anos de prática de docente e contadora de histórias percebo que quanto mais contamos histórias às crianças, mais elas se aconchegam a nós adultos, abrem-se entre contador e ouvinte portas e canais de comunicação. Um mundo de possibilidades surge a partir deste imaginário favorecendo assim a construção da realidade, uma vez que a criança e ou adolescente pode falar, questionar, criticar ações da sua vida através da vida do personagem sem que seja necessária exposição de si mesmo.
Assim sendo, vamos povoar o mundo de contadores de histórias e conquistar ouvintes, pois a partir deles, “contadores e ouvintes” é que será reconstruída uma sociedade com mais proximidade, que voltará a ter na voz e no olhar o sentido afetivo das relações humanas.

Livros doados pela AABPM para a Biblioteca Pública em fevereiro

Nietzsche Para Estressados - 99 Doses de Filosofia Para Despertar a Mente e Combater As Preocupações

Autor: Percy, Allan; Percy, Allan; Percy, Allan


Editora: Sextante / Gmt


Categoria: Autoajuda / Mentalismo   



Sinopse



                Nietzsche era uma pessoa muito mal resolvida na vida é só pesquisar e confirmará. O autor usa a autoridade deste filósofo que na realidade terminou seus dias num manicômio,pobre e sem ninguém. Como posso seguir conselhos de uma pessoa cujos conselhos não serviram para si próprio?



Getúlio Vargas - a Esfinge Dos Pampas


Autor: Bourne, Richard; Bourne, Richard


Editora: Geração Editorial


Categoria: Ciências Humanas e Sociais / Política  


Sinopse



                Getúlio Vargas tomou o poder em 1930, governou como ditador, suprimiu liberdades e exerceu a censura, porém defendeu os trabalhadores, modernizou o país e foi deposto por militares. Eleito presidente, governou como democrata, colocou o interesse público acima de tudo e desagradou reacionários, que o perseguiram até causar a sua morte trágica. Revolucionário ou reacionário? Autocrata ou democrata? Fascista ou comunista? Progressista ou conservador? Opressor ou vítima? Quem foi realmente o homem que governou o Brasil por mais tempo que qualquer outro líder republicano? Qual foi de fato o seu legado à nação? Por que ele até hoje divide tanto as opiniões?



Proteja seu Filho do Bullying

Autor: Beane, Allan L.


Editora: Best Seller Ltda


Categoria: Ciências Humanas e Sociais / Pedagogia   


Sinopse


                  Proteja seu Filho do Bullying descreve as principais características apresentadas por crianças que sofrem maus-tratos e oferece dicas para ajudá-las a lidar com os agressores e a evitar os ataques. A palavra inglesa bully significa valentão, provocador. Hoje, o termo é usado para descrever os brigões que implicam com os menores ou mais fracos. O bullying (ato de intimidar, oprimir) é um problema em escolas de todo o mundo, mas vai muito além da sala de aula: as agressões podem acontecer na vizinhança, ou mesmo em casa. 


Mentes Perigosas - O Psicopata Mora ao Lado

Autor: Silva, Ana Beatriz Barbosa; Silva, Ana Beatriz Barbosa


Editora: Fontanar


Categoria: Psicologia / Psicologia  



Sinopse



               "Mentes Perigosas" discorre sobre pessoas frias, manipuladoras, transgressoras de regras sociais, sem consciência e desprovidas de sentimento de compaixão ou culpa. Esses "predadores sociais" com aparência humana estão por aí, misturados conosco, incógnitos, infiltrados em todos os setores sociais. São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria da população: aquelas a quem chamaríamos de "pessoas do bem".



Cemitério de Praga 

Autor: Eco, Umberto; Eco, Umberto


Editora: Record


Categoria: Literatura Estrangeira / Romance   


Sinopse



           

                Personagens históricos em uma delirante trama fantástica. Trinta anos após O nome da rosa, Umberto Eco nos envolve, mais uma vez, em uma narrativa vertiginosa, na qual se desenrola uma história de complôs, enganos, falsificações e assassinatos, em que encontramos o jovem médico Sigmund Freud (que prescreve terapias à base de hipnose e cocaína), o escritor Ippolito Nievo, judeus que querem dominar o mundo, uma satanista, missas negras, os documentos falsos do caso Dreyfus, jesuítas que conspiram contra maçons, Garibaldi e a formação dos Protocolos dos Sábios de Sião.
            Curiosamente, a única figura de fato inventada nesse romance é o protagonista Simone Simonini, embora, como diz o autor, basta falar de algo para esse algo passar a existir...


Livros doados pela AABPM para a Biblioteca Pública em Janeiro

Verbais - Maneiras Inteligentes de Se Proteger de Palavras Agressivas


Autor: Berckhan, Barbara; Berckhan, Barbara


Editora: Sextante / Gmt


Categoria: Autoajuda / Relações Interpessoais            


Sinopse


                  Todos nós já fomos alvo de uma grosseria, das indiretas de um colega de trabalho ou das piadas de mau gosto de um amigo sem noção. Às vezes, um ataque verbal pode ser tão doloroso quanto uma agressão física. Diante de uma situação dessas, as pessoas costumam ter duas reações típicas: não conseguem articular uma boa resposta ou ficam nervosas e partem para a briga. No entanto, nenhuma dessas reações é saudável. Engolir a mágoa ou revidar são atitudes que consomem energia e dão ainda mais poder ao agressor. Como evitar que a falta de educação alheia estrague o seu dia? Inspirada no aikido - uma modalidade de arte marcial que tem como objetivo neutralizar o ataque e restabelecer a paz - Barbara Berckhan ensina técnicas simples, originais e divertidas para você reagir às agressões com inteligência, protegendo sua integridade, demonstrando sua força e inibindo um novo golpe. Com as dicas que encontrará aqui, você vai aprender a: Construir um escudo protetor para não deixar que palavras ferinas o abalem; Saber se impor, mantendo uma postura ereta e contato visual; Não perder o fio da meada diante de comentários sarcásticos, entre outros. Este livro lhe dará segurança para enfrentar situações desconfortáveis, seja na interação com estranhos, parentes, colegas de trabalho ou qualquer um que tente despejar seu mau humor em cima de você.



Borralheiro


Autor: Carpinejar, Fabricio; Carpinejar, Fabricio


Editora: Bertrand Brasil


Categoria: Literatura Nacional / Contos e Crônicas   



Sinopse




                  Uma revolução silenciosa tomou conta dos hábitos. Começou, de modo discreto, com uma maior participação na paternidade, seguiu para a cozinha, a lavanderia, e já se pode dizer que não há como contê-la. O homem é o novo dono do lar. O novo romântico. O novo casamenteiro. Não tem vergonha de chorar, lembra a data do primeiro beijo e conhece de cor e salteado onde ficam as toalhas e quais estão secas. Depois dos sucessos de Canalha! e Mulher Perdigueira, Carpinejar retrata a mudança do comportamento masculino. Descobre agora o Borralheiro, personagem que não se sente menosprezado por cuidar das tarefas domésticas. Em altas doses de lirismo e humor, Carpinejar embarca em uma viagem sem volta pela residência. Passeia por cada cômodo, brincando com as diferenças do comportamento entre marido e mulher e destruindo condicionamentos do sexo e do amor. O escritor não foge de uma boa discussão de relacionamento, tanto que acha que a briga deveria ser profissionalizada com O Dia da DR. Em 100 crônicas, o escritor confidencia as estratégias divertidas de sedução e faz advertências saborosas para a rapaziada, como nunca mexer no umbigo da namorada ou apertar suas bochechas. Os segredos revelados são perigosos e com efeitos colaterais imediatos. O autor convida cada um a repensar a rotina e se apaixonar novamente pelo casamento. Se em Canalha!, ele indicava a importância dos bicos da caixa de leite, aqui divide com a mulher copos de requeijão e iogurte.



Sua Alteza Real

Autor: Steel, Danielle; Steel, Danielle


Editora: Record


Categoria: Literatura Estrangeira / Romance   


Sinopse



                    A princesa Christianna está cansada da rotineira de cerimoniais e de eventos a que é obrigada a comparecer. Quando viaja para a Rússia, contra a vontade do pai, para auxiliar a Cruz Vermelha após um atentado terrorista, a filha caçula do príncipe de Liechtenstein percebe que sua vocação é ajudar os outros e decide ser voluntária por um ano em um acampamento na África Oriental. Lá, se apaixona pelo povo da Eritreia e por Parker Williams, um jovem médico de Harvard. Porém, incidentes violentos irrompem e ela precisa lutar por sua independência e por seu amor.


Depois de Auschwitz - o Emocionante Relato de Uma Jovem Que Sobreviveu ao Holocausto

Autor: Schloss, Eva; Schloss, Eva


Editora: Universo dos Livros


Categoria: Literatura Estrangeira / Biografias e Memórias 



Sinopse



              Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos. 

             Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.



O Encontro Inesperado


Autor: Gasparetto, Zibia; Gasparetto, Zibia; Gasparetto, Zibia


Editora: Vida e Consciencia


Categoria: Espiritualismo / Espiritualismo  


Sinopses


              Em um relacionamento amoroso, uma mulher exigente e intratável, ciumenta, apegada, sufocou o companheiro que depois de sete anos de convivência, não suportando mais saiu de casa. Ela tentara o suicídio uma vez e ameaçava fazê-lo de novo caso ele não voltasse. Os pais dela a julgavam fraca e queriam protegê-la, mas a vida os impediu de socorrê-la. Quando todos pensavam que aconteceria o pior, a vida intercede a seu favor. Os três irmãos: Franco, Gisele e Carlos, surgem nesta história e os fatos começam a mudar. Então aconteceu "O Encontro Inesperado".


O Castelo de Papel


Autor: Del Priore, Mary; Del Priore, Mary; Del Priore, Mary


Editora: Rocco


Categoria: Geografia e Historia / Historia do Brasil   


Sinopse



              O castelo de papel narra a biografia cruzada da princesa Isabel e seu marido, o conde d’Eu. Ele, um nobre europeu, neto do último rei da França. Ela, obediente filha e herdeira do Império do Brasil. Em comum, a formação rígida e a devoção religiosa. A união por interesses familiares não impediu que fossem apaixonados por toda a vida, representando o retrato acabado do romance do século XIX. Através da história dos dois, o livro revela a tensa atmosfera de um mundo em transição.


Total de visualizações de página